Caso você tenha intenção de assistir a série “House of Cards”, uma série de drama político e um dos primeiros grandes sucessos produzido pela Netflix, melhor não continuar a leitura deste artigo, uma vez que ele contém vários “spoilers”.

house-of-cards

Frank Underwood

Um dos maiores desafios de um líder nas empresas é identificar os mais diferentes perfis de cada membro da equipe, conseguir que estes diferentes perfis trabalhem com sinergia a fim de formar equipes de alta performance. Ocorre que entre os membros de sua equipe podem existir pessoas que conseguem mudar o seu entorno conscientemente com o intuito de obter benefícios próprios, sem se importar que as consequências e danos de suas ações afetem os demais membros de sua equipe  e obviamente o seu gestor, pessoas com este perfil são comumente chamadas de “manipuladoras”.

A identificação de colaboradores com o perfil “manipulador” dentro do mundo corporativo não é uma tarefa trivial. Por exemplo, muitas vezes a pessoa com perfil “manipulador” solicita ajuda, visando se aproveitar da situação e existem pessoas que solicitam ajuda simplesmente para resolver o seu problema, a diferença entre elas é muito tênue.

O objetivo deste artigo é traçar um paralelo entre pessoas “manipuladoras” do mundo corporativo e  Frank Underwood, principal personagem de “House of Cards”.

Vamos mostrar como algumas ações de Frank Underwood dentro da série são demonstrações de uma pessoa “manipuladora” e como elas poderiam ter sido evitadas pelo seu “líder”, o personagem Garret Walker (presidente dos USA).

A seguir algumas dicas de como reconhecer um profissional “manipulador”, com base em  algumas “ações” de Frank Underwood:

Os favores
 linda-vasquez

Linda Vasquez

A princípio, o manipulador está sempre pronto para ajudar as pessoas, como se fosse algo compulsivo. Mas espere que eles sempre vão pedir algo em troca no momento certo, no ambiente corporativo elas procuram ajudar as pessoas que podem ser manipuladas mais facilmente ou aquelas que tem mais proximidade e confiança com os gestores das equipes em que eles trabalham.

Em “House of Cards”, recorrentemente  Frank Underwood  está ajudando outras pessoas. Em determinado momento, ele observa que Linda Vasquez (Chefe de Gabinete do presidente Walker)  está com dificuldades para matricular o seu filho em universidade americana de prestígio, o que é seu grande sonho. Logo, Frank Underwood não pensa duas vezes em ajudá-la, conhecendo o perfil de Frank, agradece e avisa-o que este favor não poderá ser cobrado, mas claro que como bom manipulador, Frank Underwood diz que não irá querer nada em troca, mas logo, no momento certo ele cobra algo em troca deste favor.

A adulação
 presida

Senadora Catherine Durant/ Vice-presidente Jim Matthews

Esta é uma das habilidades mais interessantes do manipulador, ele sabe fazer isto muito bem. Ele consegue descobrir facilmente como fazer a pessoa se sentir especial para ganhar sua confiança.

Este é mais uma das habilidades que Frank Underwood mostra diversas vezes na série. Ele faz isto muito bem quando convence a senadora Catherine Durant assumir o Departamento de Estado dos USA na série, ela inicialmente é reticente em aceitar, mas Frank Underwood a cobre de elogios, até que ela cede e aceita o cargo de Secretária de Estado. O vice-presidente Jim Matthews é outro que cai na adulação de Frank Underwood e que acaba convencendo-se que é melhor renunciar ao cargo de vice-presidente e candidatar-se novamente ao governo da Pensilvânia, já que ele é muito querido pelo povo do seu estado.

Ocultar coisas

zoe-barnes

 Zoe Barnes

O manipulador geralmente esconde informações pessoais, dificilmente você conseguirá checar o histórico profissional de um manipulador, ele desconversa ao ter que responder sobre suas ações, pensamentos, opiniões etc. Por outro lado, querem saber tudo sobre você, desde o lado profissional até a sua intimidade. Grandes manipuladores consegue que outra pessoa confesse sem perceber.

Um dos personagens que é manipulado com maestria por Frank Underwood é Zoe Barnes, uma jornalista ambiciosa que não mede esforços para ter um furo de reportagem. Obviamente que ele a descarta após ela ter sido útil para os seus propósitos e faz o possível para que ela não tenha o mínimo de informações a respeito dele.

A sombra

 raymund

Raymond Tusk

Honestidade, transparência e e responsabilidade não fazem parte do perfil de um manipulador. Ele esconde informações sobre sua privacidade, dificilmente você conseguirá checar o histórico profissional de um manipulador, como também faz questão de desaparecer onde não há luz para poder analisar melhor a vítima. Frequentemente utiliza outras pessoas para obter dados de sua próxima presa (outro manipulado). Do nada, a sua equipe estará enredada em suposições, envolvida em fofocas sobre alguém etc.

Raymond Tusk é um grande empresário e conselheiro do presidente Walker, e ele fica responsável por analisar se Frank Underwood seria a pessoa adequada para ocupar a vice-presidência. Mesmo sendo um empresário sem escrupulos e extremamente ambiciosa, Frank Underwood age nas sombras e consegue envolver Raymond Tusk em fofocas, manipulando a situação ao seu favor e fazendo que o presidente Walker termine a amizade que ele tinha com Raymond Tusk.

Linda Vasquez é outra pessoa de extrema confiança do presidente que acaba enredada em suposições junto ao presidente Walker, e o presidente acaba demitindo-a.

A emoção
 ref

Presidente Garret Walker

Este é outro recurso que o manipulador usa com maestria. Devemos lembrar que os sentimentos quando são intensos, não nos permitem agir ou pensar com clareza. Eles podem tanto usar o medo e a culpa para pressionar os outros, e quando descoberto ou confrontado, o manipulador sabe como ninguém apelar para o sentimento de perdão e gratidão das pessoas.

Uma das principais cenas de “House of Cards” é quando o presidente Walker confronta Frank Underwood sobre suas atitudes, ou seja, ele tinha acabado de descobrir que Frank é manipulador, então a esposa de Frank diz que ele deve seduzir o presidente, dar o seu coração à Walker. Como um ótimo manipulador, Frank usa a máquina de escrever que seu pai lhe deu na infância para escrever uma carta ao presidente Walker, com o intuito de emocioná-lo  e reafirmar sua fidelidade ao presidente, e este acaba pela última vez sendo seduzido por Frank Underwood ao citar isto na carta e jurar fidelidade apelando para emoção, conforme tinha falada sua esposa, e com isto, ele consegue seduzir o presidente pela última vez.

Por fim, um dos principais objetivos do manipulador é isolar sua vítima das pessoas de sua confiança, e ele, o manipulador acabará sendo  a única pessoa de confiança de sua vítima, na série, o Presidente Walker ficou isolado e quando precisou, ele só tinha o  “apoio” de Frank Underwood.

Lembre-se que não é o elogio de um novo colaborador que irá torná-lo manipulador, e se um colega de trabalho mantém sua vida privada com discrição, também não significa que ele tenha um perfil manipulador.  Diferentemente do presidente Walker, espero que este artigo ajude você a prestar atenção aos sinais que se repetem, você deve observar se determinados comportamentos como os citados acima ocorrem com frequência, se isto for constatado, observe com mais cuidado as ações desta pessoa e afaste-a imediatamente, caso contrário, você corre o risco desta pessoa ser um Frank Underwood e você ter o mesmo fim do presidente Walker, quem assistiu a série, sabe do que eu estou falando…