Você sabe o que é a Lei Sox? Criada com foco nas partes financeira e contábil dos negócios, essa regra influencia o modo como os processos de TI são executados.

Em vigor desde 2002, após ser sancionada pelo congresso americano, a Lei Sarbanes-Oxley, mais conhecida como Lei Sox, afeta um grande número de empresas de capital aberto. Neste artigo, você vai saber mais sobre essa regulamentação e como ela impacta seu trabalho. Continue a leitura.

O que é a Lei Sox?

A Lei Sarbanes-Oxley foi criada com o objetivo de regulamentar o modo como as empresas de capital aberto atuam. Graças a ela, os acionistas ficaram protegidos contra qualquer ação de funcionários, diretores e auditores em busca de lucro pessoal.

Essa regulamentação está dividida em 11 capítulos. Em conjunto, as 69 seções da Lei Sox criam a base para as empresas terem processos de gestão com maior nível de controle, segurança e transparência. Além disso, ela aplicou novas práticas de governança corporativa, melhorando o modo como as escriturações contábeis, a gestão e a divulgação de dados financeiros são feitos.

Em outras palavras, a Lei Sox obriga empresas a terem um tratamento mais objetivo e transparente em relação às suas ações. Negócios que não atuarem conforme a legislação podem ser penalizados com multas e ações criminais e de responsabilização civil.

Dessa forma, os líderes empresariais passam a ter mais incentivo para atuar de acordo com as demandas dos seus acionistas e não em busca de lucros pessoais.

A quem a Lei Sox se aplica?

A Lei Sox é aplicável a qualquer empresa que tenha ações registradas na Securities and Exchange Comission (SEC, a versão americana da Comissão de Valores Mobiliários nacional). Além disso, ela também inclui as companhias estrangeiras que tenham programas de ADRs (sigla para American Depositary Receipts) de nível dois ou três listados na Bolsa de Valores dos Estados Unidos.

Qual a relação da Lei Sox com a TI?

A tecnologia está conectada com todas as ações de uma empresa. Negócios utilizam a TI como uma ferramenta estratégica, otimizando rotinas, evitando riscos e garantindo que a prestação de serviços seja sempre a melhor possível.

Em função disso, quem se enquadra na Lei Sox não pode ignorar a TI nos seus processos de transparência. As ferramentas de gestão integrada, de automação contábil e, até mesmo, de armazenamento de dados precisam estar configuradas para que o negócio não deixe de ter processos em sintonia com essa regulamentação.

Isso é feito por meio do investimento em boas práticas de segurança digital. Mecanismos de controle precisam ser aplicados para evitar fraudes e modificações indevidas nas informações. Já sistemas de monitoramento devem ser utilizados para otimizar o trabalho do time de compliance. Com isso, as auditorias tornam-se mais abrangentes e eficazes.

A TI também precisa trabalhar para evitar riscos e situações em que os dados podem perder integridade. Portanto, o gestor da área deve implementar processos de backup e de gestão da informação a fim de evitar que arquivos importantes sejam eliminados ou corrompidos indevidamente.

Em outras palavras, a Lei Sox exige que o time de TI tenha um maior foco na segurança e na gestão de dados. Como a tecnologia já está integrada a várias atividades financeiras, manter um baixo controle sobre esse aspecto da infraestrutura de TI pode colocar o negócio em risco e deixá-lo exposto a fraudes, multas e processos legais.

Quais são os impactos da Lei Sox para o negócio?

A Lei Sox traz mudanças para o negócio que passam por todas as suas estratégias de gestão e de organização de dados. Ou seja, ela cria um padrão para políticas de controle com transparência, divulgação de informações financeiras e, principalmente, rotinas de auditoria.

Os processos de auditoria, por exemplo, tornam-se melhor orientados. Haverá mais certeza sobre os responsáveis por cada atividade e menos erros e conflitos sobre os registros internos. Tanto as verificações internas quanto as externas conseguirão atuar lado a lado para maximizar a qualidade das rotinas da companhia.

Feita por um time externo, a auditoria apresentará um maior nível de isenção e transparência. Os processos serão melhor mapeados e mais alinhados com padrões de qualidade modernos.

Já as auditorias internas terão maior capacidade de compreender o modo como o negócio opera e o nível de integridade das suas informações. Existirá mais clareza sobre como os negócios devem ser gerenciados e quais são os níveis mínimos de governança e qualidade esperados pelos líderes e pelo mercado.

Em outras palavras, ambos os processos de auditoria entrarão em sintonia para garantir o máximo de qualidade e alinhamento com a Lei Sox para a empresa.

Como a Iteris pode auxiliar sua empresa a cumprir a Lei Sox?

Para otimizar processos que envolvem a TI, muitos negócios escolhem o apoio de um parceiro estratégico. Os motivos para esse investimento são variados.

Adotar uma empresa parceira para otimizar suas operações garante que os usuários terão apoio de um time especializado para analisar o que deve ser modificado. A equipe utilizará as últimas tendências e metodologias do mercado para avaliar a melhor estratégia de ação. Tudo isso com base no perfil do negócio e nas regulamentações correspondentes.

Na Iteris, por exemplo, há um time preparado para garantir que a companhia fique em conformidade com a Lei Sox. Esses profissionais são capazes de instruir o negócio a revisar, otimizar e requalificar seus processos de TI da melhor forma, evitando erros e riscos de segurança.

Assim, a Iteris contribui para que o negócio tenha uma gestão de informações de ponta. Os dados serão armazenados em um ambiente digital capaz de garantir a integridade e a confidencialidade das informações dos usuários. Além disso, os recursos utilizados não comprometerão a integridade dos registros, evitando prejuízos futuros.

A Lei Sox trouxe mais transparência e confiabilidade para o mercado de ações americano. As companhias que estão submetidas a essa regulamentação passam a contar com um conjunto de medidas que tornam suas decisões mais claras e confiáveis.

Para o acionista, a Lei Sox proporciona maior confiabilidade na capacidade de seus investimentos entregarem bons resultados. Ao investir em uma companhia, ele terá a certeza de que os gestores estão atuando não em benefício próprio, mas em busca de uma rentabilidade de médio e longo prazo.

E na sua empresa, a Lei Sox já trouxe grandes mudanças? Conte para a gente nos comentários!