Descubra porque o Flutter se tornou o queridinho dos Devs Mobile em tão pouco tempo.


A popularização dos dispositivos móveis, como smartphones e tablets, tornou a área de desenvolvimento mobile uma das frentes que mais crescem no mercado de tecnologia e, atualmente, existem duas plataformas que disputam o topo desse grande mercado: Android e iOS.

Todavia, um dos problemas enfrentados com esse rápido crescimento foi a necessidade de tornar o desenvolvimento nativo mais ágil e fácil.

E é exatamente isso que esse novo framework promete: simplificar e integrar o desenvolvimento para ambas as plataformas.

O que é Flutter?

Antes de mais nada, vale ressaltar que o Flutter é um framework open source criado pela Google, com a promessa de sanar os desafios do desenvolvimento mobile.

Com sua primeira release lançada em maio 2017, ele é um Cross-Platform que permite a execução do código em múltiplos ambientes, por meio de um motor de renderização próprio que torna o desenvolvimento muito mais fácil e prático.

Veja como é simples sua estrutura com o famoso “Hello World”.

import 'package:flutter/material.dart';
@override
Widget build(BuildContext context) {
  return MaterialApp(
    title: 'My first App',
    home: Scaffold(
      appBar: AppBar(title: Text('My first App')),
      body: Center(child: Text('Hello World')),
    ),
  );
}

Principais características do Flutter:

O sucesso e a “paixão” dos Devs pelo framework está atrelado às suas principais características:

  • Multiplataforma, isto é, capaz de atender todos os sistemas operacionais seja, Windows, Linux e MacOS.
  • Acesso nativo, ou seja, aplicações desenvolvidas com o Flutter possuem acesso direto aos recursos do sistema (câmera, wifi, memória, etc).
  • Desenvolvimento Produtivo por meio do Hot Reload, uma feature que permite o feedback visual e em tempo real do que está sendo desenvolvido.

Linguagem de Script

Similarmente aos demais frameworks de desenvolvimento, o Flutter exige uma linguagem específica, conhecida como Dart.

Também desenvolvido pela Google, o Dart é uma linguagem pensada para o desenvolvimento web, mas que não tinha relevância antes ser utilizada com o Flutter.

Porém, com a chegada do framework, o Dart ganhou significado, já que é de fácil aprendizagem e tem raízes em C, o que traz um ar de Java e C#, apresentando estruturas típicas de linguagens orientadas ao objeto.

Observe um exemplo básico de sua sintaxe:

main() {
  int intNumber = 10;
  double doubleNumber = 2.97;
  String myString = "Cool kid in the house!";
  bool logic = true;
  List myList = [1, 3.12, "Dart, dart is the cool kid"];
  Map myMap = {"Kid" : "Dart", "Level" : "Out of this world"};
  int UninitializedVariable;
  
  print(intNumber); // will print "10"
  print(secondDartVar); // will print "2.97"
  print(myString); // will print "Cool kid in the house!"
  print(logic); // will print "true"
  print(myList); // will print "[1, 3.12, "Dart, dart is the cool kid"]"
  print(myMap); // will print "{"Kid" : "Dart", "Level" : "Out of this world"}"
  print(UninitializedVariable); // will print "null"
}

Por onde começar?

Em primeiro lugar vem a instalação. Em seguida, é necessário fazer algumas alterações de emuladores e dependências, utilizando editores com boa compatibilidade, além de plugins e suporte com a linguagem, como:

  • IntelliJ IDEA – criado pela JetBrains, esse é um ambiente de desenvolvimento integrado, escrito em Java e que permite o desenvolvimento de software para computadores.
  • Visual Studio Code – editor de código-fonte desenvolvido pela Microsoft para rodar em Windows, MacOS e Linux por meio de diversas funcionalidades, como: complementação inteligente de código e controle Git incorporado.
  • Android Studio – ambiente de desenvolvimento integrado para a plataforma Android. Traz boa produtividade quando somado à tecnologia, com vários atalhos que te ajudam no dia a dia.

A princípio, o caminho para seu primeiro “Hello World” é bem mais simples do que em outras tecnologias. Quer uma dica de um caminho que muitos ignoram, mas é extremamente válido? Comece pela documentação, o Get Started é bem completo, e, em poucos passos terá seu primeiro App rodando num emulador em sua máquina.

O que quase ninguém sabe

O que muitos ainda não sabem é que o Flutter possui a possibilidade de ser integrado a um projeto nativo já existente.

É como se você criasse um módulo e o adicionasse à aplicação. A documentação tem o passo-a-passo para que você faça essa integração de forma descomplicada, seja o seu App Android ou iOS.

Ao contrário de outras tecnologias, o Flutter, é cativante e relativamente fácil de aprender. E, apesar de ser um framework novo, possui grande quantidade de packages e muito conteúdo (inclusive brasileiro) disponível para você conhecer.

É brilhante ver a mesma aplicação rodando com somente um código em duas plataformas distintas, sem perdas significativas de desempenho. Além de tudo isso, as vagas para desenvolver com a tecnologia aumentaram significativamente nos últimos tempos, então vale muito a pena investir. É o “flutturo” do desenvolvimento mobile

Conteúdos e livros complementares:
Canais: