Em um time de TI convencional, os desenvolvedores são cobrados por entregar valor na forma de funcionalidades, enquanto a equipe de infraestrutura é cobrada pela estabilidade do ambiente. Em modelos convencionais, desenvolvedores mantêm uma relação distante com o ambiente de produção de suas entregas, enquanto a equipe de operações foca sua atenção nas operações e demandas de infraestrutura.

O problema é que na maioria dos modelos de negócio, o valor que deve ser proporcionado ao cliente final de todas as empresas está na correta implantação dos sistemas desenvolvidos. Contudo, o modelo convencional cria e incentiva o distanciamento entre os desenvolvedores e a operação, criando barreiras na implantação de sistemas e reduzindo não só a velocidade em que novos sistemas ou atualizações são entregues, mas também a qualidade do que é entregue ao cliente.

A cultura de DevOps vem propor justamente essa junção de pessoas, processos e tecnologias com o objetivo de fornecer de maneira contínua valor para o cliente.

Conceito de DevOps

Combinando o Dev (de desenvolvimento) e Ops (de operações), o DevOps propõe novas maneiras de trabalhar para a valorização da diversidade de atividades e profissionais envolvidos em atitudes colaborativas. É um processo que torna possível o desenvolvimento ágil de aplicações em um modelo de gestão de infraestrutura definido sob regras rígidas e burocráticas.

Partindo de uma perspectiva teórica, Len BassIngo Weber e Liming Zhu – três pesquisadores de ciência da computação do Software Engineering Institute – sugeriram definir DevOps como “um conjunto de práticas destinadas a reduzir o tempo entre a alteração de um sistema e a mudança sendo colocada em produção normal, garantindo alta qualidade“.

A instrumentalização do DevOps cria um ambiente de comunicação fluída entre equipes multidisciplinares, alterando as fronteiras de job descriptions e favorecendo o trabalho como um todo, tornando mais assertiva a entrega de valor das equipes de tecnologia de uma empresa.

Mesmo sendo um ramo relativamente novo, de acordo com o Instituto americano Forrester Research, apenas em 2018, cerca de 50% das corporações já realizaram investimentos nesta tecnologia.

Com o propósito de otimizar o trabalho dos times de desenvolvimento e operações, a cultura DevOps é capaz de auxiliar não apenas o setor de TI, mas em todos os departamentos da empresa através de entregas ágeis e, muitas vezes, automatizadas.

Pilares da cultura DevOps

Imagem de um escritório, com quatro pessoas sentadas e distribuídas ao redor de uma mesa e usando computadores. No centro da imagem, entre as quatro pessoas, há um homem de pé, vestido com um terno preto, sem mostrar suas pernas e do ombro para cima.

Uma cultura de interseção de equipes não conseguiria se manter firme sem que sua construção ocorresse sobre pilares que pautam o modus operandi desta modalidade de processo. Tais pilares podem ser definidos da seguinte maneira:

  • Integração contínua: transmissão de conhecimento entre as áreas de Desenvolvimento, Operações e Apoio;
  • Implantação contínua: otimização na licença contínua de novas versões de software e serviços;
  • Feedback contínuo: ao unir pessoas de diferentes espectros do universo de TI, os feedbacks frequentes são a base para o alinhamento das equipes envolvidas em todas as fases de vida do software ou serviço.

Quais os benefícios da implementação do DevOps?

Base do DevOps, a união dos times de Desenvolvimento e Infraestrutura cria uma cultura de colaboração entre as equipes. Isso possibilita gerenciar os ambientes de implantação, teste e produção de um modo muito mais eficiente. Os benefícios de sua implementação podem ser elencados como:

  • Economia de recursos

A cultura de DevOps minimiza o impacto de retrabalhos, aumentando a eficiência no desenvolvimento de projetos.

  • Processos otimizados e simplificados

A aplicação do DevOps proporciona uma comunicação muito mais fluída em cada etapa do projeto, potencializando a produtividade dos squads envolvidos nas demandas. Essa dinâmica proporciona uma visão dos gestores envolvidos, melhorando a performance da empresa para cada entrega.

  • Comunicação assertiva

 A comunicação entre as equipes de Desenvolvimento, Operações e Infraestrutura é aperfeiçoada dentro do DevOps e, como consequência, ocorre a melhoria dos métodos e ferramentas usados para a otimização dos processos. Dessa forma, há uma celeridade na conquista dos objetivos

  • Produções mais ágeis

Com a integração proporcionada pelo trabalho de equipes multidisciplinares, é possível aumentar a automatização na produção de softwares, reduzindo o retrabalho e o atraso nas entregas. Dentro dessa proposta de agilidade, é possível gerar valor agregado para a empresa.

  • Automação de tarefas

A desburocratização dos processos a partir da automação de testes é um dos principais diferenciais da cultura DevOps. Esse tipo de inteligência proporciona um ganho de tempo importantíssimo para as áreas, diminuindo os riscos de erros que eram comuns em processos manuais.

Se você buscar agregar valor ao seu negócio, aumentando e potencializando a entrega de softwares de sua empresa, pode contar com o serviço de DevOps da Iteris. Com uma metodologia dividida em quatro etapas, nossa equipe utilizará as melhores práticas e ferramentas do mercado para garantir a entrega dos objetivos. Clique aqui e conheça um pouco mais!